Páginas

sexta-feira, 22 de julho de 2011

ESCOLHEMOS O NOME!



Desde a outra gravidez já havíamos cogitado que, se fosse um menino, gostaríamos de chamá-lo de Enzo. Dessa vez não foi diferente. Embora tenhamos pensado em alguns outros nomes, Enzo ganhou de disparada rs.

Eu, particularmente, acho um nome liiiiindo! Já consigo imaginar o rostinho lindo do meu Enzo... oowwwnnn!


Segundo o site bebe.com.br, este é o significado de Enzo:

Nome deMenino
Origemitaliana
SignificadoForma familiar italiana de Henrique, que significa o senhor da casa ou, ainda, o senhor da fortaleza.



Alguma dúvida de que nosso Enzo será o "senhor da casa"? hihihi - Rodeado de tanta mulher, imagina só o quanto esse menino será mimado! rs

Beijo grande ♥

segunda-feira, 18 de julho de 2011

SEXAGEM FETAL

Finalmente consegui descobrir 2 laboratórios em São José do Rio Preto que fazem o exame de Sexagem Fetal, graças à minha amiga Ananda. Amiga, muuuito obrigada, mais uma vez ♥

Daí que a Madame Ansiedade aqui não aguentou esperar conseguir ver pelo ultrassom e fui correndo fazer o bendito exame e... tchan tchan tchan tchan... já sei o sexo do meu bebê!!!


Siiiim, amoras queridas:


Ai que emoção! Vocês não imaginam a felicidade que estamos sentindo!

Não que houvesse preferência por menino, mas é que aqui em casa SÓ TEM menina: eu, Bruna, Isabella, Maitê... daí que estar grávida de um garotão foi um presente muito especial. Obrigada, Senhor!



Aconteceu mais ou menos assim:

Desde minha outra gravidez que tinha vontade de fazer o exame de sexagem fetal, pois em grávidas gordinhas fica mais difícil verificar o sexo pelo ultrassom, já que a gordurinha abdominal dificulta um pouco a imagem. Além do mais, é um exame meio carinho$$, o que acaba dificultando também...

Porém, desta vez não medi esforços para fazer o tal exame, fechei os olhos e mandei ver! rs

Eu só não sabia se na minha região tinha laboratórios que fizessem o exame, mas graças à minha amiga Ananda, que trabalha numa clínica médica em São José do Rio Preto, consegui o nome de 2 laboratórios e liguei nos 2 para pegar maiores informações.

No primeiro que liguei o valor era R$558,00. Pensei que talvez iria desistir, afinal, convenhamos, é muuuuuito dinheiro para uma simples exame, né?!

Sem perder as esperanças, liguei no segundo e, para minha total felicidade, o valor estava bem mais em conta R$380,00 e mais que depressa decidi fazer.

Na terça-feira cedinho colhi o sangue e a moça do laboratório disse que teria o resultado em 1 semana. Só que, para minha completa felicidade, me ligaram na sexta-feira, dia 15/07/2011, comunicando que já tinham o resultado.

Imediatamente peguei o carro e fui à Rio Preto buscar meu tão esperado resultado!

Nem sei dizer direito como me senti no momento: um misto de alegria, surpresa... sei lá, felicidade total! Fiquei completamente apaixonada com a notícia!

De uma coisa eu tenho absoluta certeza: SUPER VALEU A PENA!!! Foram os R$380,00 mais bem gastos dos últimos tempos!

Maiores informações sobre o exame de Sexagem Fetal:

Hoje, para a alegria dos pais, não é mais preciso esperar até a 17ª semana para fazer a ultra-sonografia com este objetivo. Com apenas um pouquinho de sangue da mamãe, com oito semanas de gestação, já é possível saber o sexo do bebê, independente da posição do feto para fazer a identificação.

Após a grande descoberta do cientista chinês Y. Dennis Lo, de que no plasma materno existe DNA do feto, o biólogo molecular José Eduardo Levi, do Banco de Sangue do Hospital Sírio Libanês, realizou um estudo por seis anos para desenvolver um teste que identifica fragmentos do cromossomo Y no sangue materno.

Estamos falando da Sexagem Fetal, um teste que, embora esteja sendo realizado desde 2003 aqui no Brasil, e ficando cada vez mais popular, ainda é desconhecido pela maioria dos casais.

O teste é realizado através da análise do DNA fetal presente no sangue da mãe, pela técnica PCR (Reação em Cadeia de Polimerase), isto é, a amplificação do DNA.

Durante a gestação existe a passagem de uma pequena quantidade de células fetais para o sangue materno, através da placenta. O exame dessas células revela o sexo fetal por um procedimento não-invasivo e sem riscos, pois requer apenas a coleta de uma amostra de no máximo 20ml de sangue da mãe. A enorme sensibilidade da PCR permite detectar pequenas quantidades de DNA fetal presente no plasma materno.

Este teste fundamenta-se na identificação de partes do cromossomo Y - aquele que determina o sexo masculino no ser humano - na circulação materna. Após a coleta, o plasma é separado e o DNA, isolado do mesmo, é submetido à reação de PCR com oligonucleotídeos iniciadores derivados do gene DYS14 específico do cromossomo Y.

O método de PCR desenvolvido para a determinação do sexo fetal possui excelente sensibilidade e especificidade, permitindo seu uso rotineiro e com índices de acerto superiores a 99% a partir de 8 (oito) semanas de gestação.

Trocando em miúdos, a Sexagem Fetal é um teste não-invasivo, com excelente grau de acerto, a mulher não precisa de nenhuma preparação especial (não há necessidade de jejum) e todas as grávidas podem se submeter a ele.

Com uma pequena amostra do sangue da mãe pode se encontrar poucas quantidades de DNA do feto. A presença do cromossomo “Y” indica que é um menino e a ausência dele, uma menina. No caso de gêmeos, se forem idênticos, univitelinos, o resultado é válido para os dois fetos. Em gêmeos fraternos, bivitelinos, o resultado “Y”, significa que ao menos um dos gêmeos será menino. Se o resultado der ausência de cromossomo “Y” pode-se dizer que ambas são meninas.

O teste pode ser feito nos maiores hospitais e laboratórios do Brasil e o resultado sai em aproximadamente 5 dias úteis.

O preço é salgado, em torno de R$300,00 a R$450,00, mas parece valer o alívio da curiosidade dos pais.

Estatística brasileira publicada:



Devido aos dados da tabela acima, a idade gestacional mais apropriada para realização do teste é a partir da 8ª semana.

Atualmente, a Sexagem Fetal serve apenas para a determinação precoce do sexo, entretanto, outras aplicações para o DNA fetal obtido a partir do plasma materno estão sendo pesquisadas, o que permitirá, no futuro, o diagnóstico não-invasivo de uma série de doenças, tais como a ß-talassemia (tipo hereditário de anemia), a acondroplasia (nanismo) e até a Síndrome de Down.

Acredita-se que, num futuro bem próximo, testes desse tipo venham a substituir a amniocentese (coleta de amostra de líquido amniótico) e biópsia de vilo corial (amostra da placenta) para obtenção do cariótipo fetal. As dificuldades residem no fato de a quantidade de células fetais no sangue materno ser muito pequena e de difícil identificação.

Também será possível a determinação do genótipo Rh (D) fetal com esta mesma metodologia.


Alguns fatores que podem influenciar no resultado do teste:


Abortamento subclínico

No caso do resultado encontrado ser um teste positivo para cromossomo Y (feto masculino) e posteriormente verificar-se ser um feto feminino, a possibilidade que deve ser levantada é se a mãe foi submetida a procedimento de hiperovulação e/ou fertilização “in vitro”, com gravidezes múltiplas (2 ou mais embriões). Nestes casos não é incomum que um ou mais embriões não sobrevivam; e já existem estudos mostrando que a detecção do DNA destes embriões pode persistir por até 2 semanas, depois de, por exemplo, um episódio de aborto. Se o embrião abortado for do sexo masculino, estará explicada a incoerência entre o resultado do teste de Sexagem Fetal e o sexo do feto em progressão. Outra explicação seria se a mãe houvesse recebido transfusão de sangue ou transplante de órgão de um homem.

Fonte: Planeta Bebê 

Laboratório que fiz o exame:

HEMAT - Instituto de Hematologia
Rua Cila, 3104 - São José do Rio Preto/SP
Fone: (17) 3214-6544

Beijo grande da mamãe mais feliz do pedaço =D